• Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco

© 2019 Februce | Construções em aço   •   Todos os direitos reservados   •   Desenvolvido por  A Z U B A INTERACTIVE 3D VISUALIZATION

SUSTENTABILIDADE É A MARCA DO NOVO PAVILHÃO DO BARIGUI


Centro de convenções que deverá ser entregue em julho de 2012 utilizará água da chuva e iluminação natural, diminuindo o consumo de energia elétrica.


O parque mais antigo e frequentado de Curitiba, o Barigui, será revitalizado. O consórcio Positivo/J. Malucelli – vencedor da licitação de concessão do Centro de Eventos do Parque Barigui –, vai derrubar o antigo centro de convenções, construído em 1975, e construir um novo no lugar. O consórcio também deverá construir uma galeria que vai integrar os dois lados do parque por baixo da Rua Cândido Hartmann, além de uma nova pista de corrida.

Segundo Joel Malucelli, do grupo J. Malucelli serão investidos R$ 26,4 milhões no novo centro e nas obras complementares, que incluem melhorias na sinalização, no estacionamento e na ciclovia, além de uma rotatória viária na Rua Cândido Hartmann. A previsão é de que as obras sejam concluídas em julho de 2012.



“É um parque que tem uma diversidade grande de utilidades. E o pavilhão demonstrava um desgaste. O novo terá uma área menor que o atual, mas a forma como ele foi projetado permite uma utilização muito maior”, diz Manoel Coelho, arquiteto responsável pelo novo centro de convenções. O espaço será modulável para atender diversos tipos de evento. “O pavilhão terá um vão livre de 5 mil metros quadrados. É um campo de futebol sem nenhum pilar, isso dá flexibilidade. Terá um pé direito de 10 metros e paredes divisórias movediças.”

A integração com o parque será feita através de paredes de vidro. “Não existe nada igual em outros lugares. Normalmente, os centros de exposições são todos fechados. Aqui, quem estiver dentro vai olhar o parque. E quem está no parque vai ver o evento.”

A água da chuva será reaproveitada e o espaço terá um sistema de ventilação natural. O aproveitamento da iluminação natural também vai garantir um menor consumo de energia. Paredes externas terão pontos de vegetação vertical e todo o entorno terá um novo paisagismo, respeitando as características do parque.



Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1130822